sexta-feira, 28 de maio de 2010

A mim ...



A mim... a vida tornou-se um fardo pesado, os que me estão próximos correntes pesadas que trago presas a meus pés ... esta dor enorme de alma e coração que cobre a minha existência ...Em tudo e todos se tornam indiferentes perante mim ... deixei de conseguir pronunciar determinadas palavras, elas fugiram do meu universo léxico, esvaneceram-se como folhas que o vento arrasta para bem longe ... Não sei quem sou ou o que sinto, a aparência tornou-se o meu modo de vida, escondo-me na diversidade por receio de encarar a minha unicidade ... mas se eu fosse una e única ... uma variedade de seres e eus vão inundando a minha mente como se de personagens se tratassem de uma filme vulgar qualquer ...
A mim ... já nada me importa ... vou morrendo aos poucos, vou-me matando aos poucos de uma forma (in) consciente ... ando por aqui, deambulando como uma sonambula que teima em se esconder, que no fundo não quer viver ... viver esta vida que a atormenta, viver com quem a rodeia ... no fundo não pedi nada disto que sou e tenho; no fundo estou rodeada por quem odeio, por quem me magoa ... se houvesse algo que me anestesiasse destes sentires, que me desse uma dormência eterna ...
A mim ... a vida tornou-se um cargo que não pedi, uma nomeação dada sem minha autorização e eu não quero ... a mim bastava-me a paz ... uma paz serena e doce, uma paz eterna ...somente ...

sexta-feira, 7 de maio de 2010

O Teu Olhar nos Meus Olhos




Sempre onde tu estás
Naquilo que faço
Viras-te agarras os braços

Toco-te onde te viras
O teu olhar nos meus olhos

Viro-me para tocar nos teus braços
Agarras o meu tocar em ti

Toco-te para te ter de ti
A única forma do teu olhar
Viro o teu rosto para mim

Sempre onde tu estás
Toco-te para te amar olho para os teus olhos.

Harold Pinter, in "Várias Vozes"

(Somente para ti ...)

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Hoje sou pequenina ...




Mais um aniversário, mais um ano ... agora entro mesmo em cheio na casa dos 40 ... mas é bom saber disso, é bom saber que estou viva, com força e deetrminação para encarar mais uma etapa .... agora sou mais Eu, mais feliz, mais genuína!

sexta-feira, 26 de março de 2010

A Primavera em nós




A vida engana-nos ... nunca sabemos quais são os seus desígnios, o que ela tem preparado para nós ... por vezes, damos uma volta de 180º graus e não sabemos muito bem qual será o nosso futuro, o dia de amanhã ... temos medo, sentimo-nos frágeis e atravessamos o mais longo Inverno, onde tudo parece frio, escuro e estamos sós ... profundamente sós! Por mais palavras de alento que nos dêem, mensagens de coragem ... continuamos hibernados em nós mesmos, estamos enclausurados na nossa caverna existencial e não queremos sair de lá!
Mas depois de um Inverno, há sempre uma Primavera ... e aos poucos como as flores começamos a despontar, a desabrochar timidamente e vamos dando os primeiros passos, sentindo a Liberdade de estarmos sós, se sermos nós e cada vez mais autênticos, mais genuínos!
E é nesta Primavera que voltamos a "re-nascer", como se voltassemos a nascer do ventre materno para uma nova vida, para uma outra vida, agora a vida que nós queremos!

segunda-feira, 22 de março de 2010

Decidi regressar




Com os meus sonhos, com os meus medos, com o meu Eu ... aqui estou novamente!

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Encerrado




Este blog chega ao fim definitivamente! Os tempos mudam, nós mudamos e por vezes, é necessário seguirmos outro rumo.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Cansei de ser pisada




Sou por natureza uma pessoa tolerante, mas esta minha tolerância e compreensão só tem trazido prejuízo para a minha própria saúde. Aguento o que me dizem, aguento o que me fazem, o que me magoam calada ou pelo menos aguentava ... o mês passado cansada de aturar tanta opressão, tanta estupidez, tanta ofensa verbal e psicológica prometi a mim mesma que tinha de ser forte, que tinha que encarar a situação de frente com todas as consequências que isso implicasse para o bem e para o mal!
Fartei-me das chantagens psicológicas, das cobranças, dos jogos de poder e principalmente da manipulação que me levaram há uns meses para a consulta de psiquiatria ... pensei para comigo mesma que tomar antidepressivos não resolve o que os outros fazem e querem fazer connosco, empaturrar-me de comprimidos para sorrir e dizer "Amen" ás barbaridades que os outros querem dizer e dominar a nossa vida... não! Basta! Há meses mudei uma parte da minha vida e pensei que estes jogos psicológicos acabassem, mas pelos vistos não ... cansei-me de ser pisada por este familiar, cansei-me ... sei que ela é capaz de tudo, mas estou-me borrifando porque se ela voltar a fazer o que me fez há uns meses, as coisas vão dançar de outra forma, se vão ... porque estou a borrifar-me para o que os outros pensam ou dizem!
Ela diz que eu estou louca, mas louca está ela e não se quer tratar!