quinta-feira, 21 de maio de 2009

Incertezas


Olho para a minha vida aos 40 anos e deparou-me com um conjunto de incertezas, tento não pensar muito no futuro, esquecer o passado e ir vivendo um dia de cada vez ... passo a passo, minuto a minuto, hora a hora como se seguisse um ritual ... deitei fora uma série de sonhos e projectos que consegui concretizar porque deixaram de fazer sentido, no fundo não eram a imagem idealizada daquilo que pretendia ... tenho dias que me apetece começar tudo de novo ... como se desmoronasse um castelo de areia junto ao mar e voltasse a fazer tudo diferente ...
A nossa vida é o espelho de nós mesmos, ou talvez não ... por vezes somos apanhados nas curvas da vida, numa série de circunstâncias que acabam por escapar as nossas próprias decisões... podemos escolher algumas, mas há coisas que nos acontecem que nada têm haver com os nossos actos ... deparei-me há muitos anos com uma doença que me apareceu e que tenho de viver com ela até morrer, fui eu que a escolhi? Não de todo ... acordei assim e tem vindo a piorar ... poderia ter-lhe dado a volta mas se não há medicação, operação que a faça desaparecer? Impossível ... e não posso levar os dias deitada à espera que a o ordenado me caía em cima ... a minha filha nasceu com problemas derivado ao parto, fui eu que escolhi? Não aconteceu ... apesar de algumas pessoas acharem que tive culpa porque andava muito irritada durante a gravidez ... santa ignorância ... há coisas na nossa vida que não podemos mudar, temos que viver com elas por muito que nos façam sofrer, magoar até traumatizar ... que nos condicionam como seres e pessoas ... no entanto, provavelmente haverá outras que poderíamos mudar ... mas se não somos o suficientemente ricos para nos envolvermos nessas construções, nessas tais mudanças radicais que poderíamos fazer ... se temos pessoas que dependem de nós ... é fácil pensar, até sonhar ... mas levar a determinadas concretizações reais torna-se difícíl ... só mesmo um milagre para a nossa vida mudar 180º graus ... mas no fundo e na verdade era o que eu queria ...

5 comentários:

Manuel disse...

Nada como um sorriso para apagar essa amargura.
Também tenho muitos momentos de desanimo mas depois deixo que o Sol volte a brilhar.
Seja positiva e pense que tudo é possível um dia.
Não deixe morrer a esperança.

Ennoea disse...

Olá, Manuel!
Eu sei que é preciso ter esperança, mas às vezes olho para a minha vida e não é nada daquilo que pensei ou planeei ... sinto que cheguei aos 40 anos e desde os 25 anos andei a queimar tempo, apesar de ter uma filha maravilhosa!
Talvez esteja a ser demasiado pessimista, mas sintou-me insatisfeita!
Um beijinho para si e obrigada pelo apoio!

Manuel disse...

Quero agradecer a simpática visita e as palavras lindas que deixou. Fiquei muito feliz. Obrigado.
Tenho a certeza que é uma Senhora maravilhosa e que a vida ainda lhe vai dar muitas realizações todas as que, tenho a certeza, merece.

Ennoea disse...

Ó Manuel, não me trate por senhora ... o meu nome verdadeiro é M. João, pode-me tratar por João, ok?
Obrigada pelas suas palavras, às vezes precisamos de ter do outro lado alguém com quem possamos desabafar e conversar, mas acima de tudo que nos compreenda!
Um beijinho

tem a palavra o povo disse...

Olá joão.
Continuo a perguntar se sonho e estou dormindo, ou se vivo bem desperto um sonho que vou vivendo.
Eu teria 40 anos precisamente quando fiz a mesma pergunta e não houve deus que me respondesse, nem gente, apenas eu que acreditei ser
capaz.
Recomeçar de novo, como Sísifo. É a segunda vez que te falo dele, porque é uma mensagem de esperança, Sísifo foi condenado a rolar a pedra enorme montanha acima, ou morria. Escolheu empurrar a pedra, a dar tempo ao tempo dum milagre, duma alteração da lei das probabilidades e venceu.
E tu joão? Deslumbro-me de entrar assim em puro deleite, no interior de uma mulher,não pelo lugar do sexo onde a sinto ardente, mas pela alma através da mente, onde tudo é belo a quem como eu a sente.
Que doença é essa que te tolhe o pensamento?
Beijos de amizade