terça-feira, 30 de dezembro de 2008

O tempo acaba o ano, o mês e a hora



O tempo acaba o ano, o mês e a hora,
A força, a arte, a manha, a fortaleza;
O tempo acaba a fama e a riqueza,
O tempo o mesmo tempo de si chora;
O tempo busca e acaba o onde mora
Qualquer ingratidão, qualquer dureza;
Mas não pode acabar minha tristeza,
Enquanto não quiserdes vós, Senhora.
O tempo o claro dia torna escuro
E o mais ledo prazer em choro triste;
O tempo, a tempestade em grão bonança.
Mas de abrandar o tempo estou seguro
O peito de diamante, onde consiste
A pena e o prazer desta esperança.
Luís de Camões

E é com um soneto de Camões que vos desejo um Excelente Ano de 2009 cheio de Paz, Amor, Saúde e tudo o que o vosso coração desejar que se concretize! Bem-hajam!
Um enorme beijo para todos!
Ennoea

No meu lado imaginário ...

No meu lado imaginário ... ponho os pensamentos à solta, os sonhos, os delírios da imaginação , eles ao verem-se livres correm como cavalos selvagens numa pradaria. Por vezes, questionou-me se são apenas fantasias ou incrustações do meu inconsciente, de um passado remoto que ainda não descobri ... sei que necessitamos de fazer um trabalho de pesquisa, de desvelamento ao mais intímo de nós mesmos, ao fundo dos fundos e re-descobrir quem somos e fomos ... No meu lado imaginário ou inconsciente(?), fui valquiria, bacante, fada e princesa ... vivi pelos vales na Irlanda em tempos remotos, andei pelas ruas de Lisboa em pleno século XVI, estive no auge da Revolução Francesa em pleno século XVIII e vivi loucamente os intensos anos 20 ... Imaginação, ficção , delírio ou realidade? No meu lado imaginário ... a minha alma percorreu séculos de vida, de História, de tempo ...

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Tal como os felinos ...

Tal como os felinos devemos andar com cuidado nesta vida, prestar atenção ao que e a quem nos rodeia, seguir de forma cautelosa, ao mínimo ruído ... escutar bem o que lá vem ... por vezes, pode ser um defeito ser desconfiado; outras vezes, uma virtude ... nunca confiar a 100% naqueles que não conhecemos bem ...
Eu, por norma tenho o costume de confiar na natureza humana, partindo do tal princípio de Rousseau de que todo o homem é bom por natureza, mas deixo sempre uma margem para umas pequenas dúvidas ... há pessoas que me têm mostrado terem um coração de ouro, outras que me têm desiludido apesar de se auto-intitularem minhas amigas ... no entanto, tenho um dom ou um defeito ... depende da perspectiva ... possuo uma excelente memória ... e jamais me esqueço até dos pequenos pormenores e quando alguém entra em contradição, quando alguém hoje me diz uma coisa e amanhã outra sobre a mesma coisa ... bingo ... apanhei a mentira , porque as pessoas esquecem-se que o tal ditado popular "Apanha-se mais depressa um mentiroso , do que um coxo." é uma verdade incondicional! E assim ... acabo por ter pena ("Temos pena!" como costumo dizer), essa pessoa meteu o pezinho na argola, comigo!
Depois há outra coisa que detesto, odeio ... alcoviteirices, coscuvelhices e ver-me metida no meio de ditos e mexericos, de pessoas que realmente não tem mesmo nada que fazer ... eu tenho que fazer e muito ... Na minha vida quotidiana, sou uma pessoa pacata, bem-disposta e em todo o lugar que vejo muito alarido, confusão e mexeriquice do diz-que-diz afastou-me, não tenho paciência para intrigas ... sempre fui assim e serei, tento medir as minhas palavras para não ser acusada de provocar boatos ou difamações. Talvez por isso, onde moro sou vista como alguém que faz a sua vida, no emprego como uma pessoa tranquila, pelos meus amigos mais íntimos como uma boa amiga ... em termos de amizade, quando as coisas não me agradam afastou-me sorrateiramente, sem palavras ou justificações ... se a pessoa não me interessa ... retirou-me em silêncio.
Na vida virtual ...aqui pela net ... já fui apanhada no meio de certos ditos e mexericos ... fiquei fula e revoltada... meterem-me em confusões, mas muito sinceramente isso só veio mostrar a verdadeira essência das pessoas como eu digo ... tenho memória de elefante a acabo por apanhar no meio disto tudo a verdade e a verdade é que as pessoas não são sinceras comigo ... Sorry ... é essa a verdade ... tenho pena é de ter perdido um amigo à conta de parvoíces em que eu nem fui perdida nem achada ... mas será que esse meu amigo me conhecia ou me conhece realmente como eu sou?
Tal como os felinos contínuo a ser um bicho solitário, que anda com precaução, sempre à escuta de o menor ruído porque mesmo cautelosa continuarei a aprender a ter cada vez mais cuidado com quem me rodeia ...

sábado, 27 de dezembro de 2008

Princesa ...

Esta noite tive um sonho ...sonhei que era a tua princesa encantada ...

domingo, 21 de dezembro de 2008

Quanto amor me dás ...

Apercebo-me disso quando estou longe de casa e de ti ...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Espírito de Guerreira

Imagem retirada da net

Nestes últimos anos, tenho-me esquecido do meu espírito de guerreira ... enleada no meio de tantos problemas, discussões, prioridades ... esqueci-me da força, do poder, dos dons que tenho dentro de mim ... em adolescente era a força opressora da minha mãe que me fazia conter este vulcão que vive em mim, quando casei o tentar manter o equilíbrio entre a família (meus pais e meu marido), quando a minha filha nasceu deu-se a queda do mundo ... a sua doença ... durante uma década vive apenas para trabalhar, para ganhar dinheiro para poder dar-lhe os melhores médicos, tratamentos, medicamentos ... achava que essa missão era apenas minha e não também do pai, depois a doença e a morte de meu pai, a solidão de minha mãe que veio piorar o seu feitio, a sua possessaõ e tinha um casamento que não sabia muito bem que rumo lhe dar ...

Tornei-me frágil, alvo fácil para pessoas menos boas, precisava de sair de casa, de conversar com quem fosse, partilhei segredos com quem não devia ... esqueci-me do meu espírito forte, corajoso, de rumar em frente, de iniciativa ...

Agora ... mais calma ... mais lúcida ... faltando apenas 4 meses para chegar aos 40 anos, com a minha filhota na pré-adolescência ... procurou-me ... defino novas metas, novos objectivos, desço de forma descendente ao fundo de mim mesma à procura de quem fui em tempos, de quem eu sou, das minhas potencialidades, dos meus dons, da minha verdadeira essência ... sei que tenho em mim o poder da reestruturação, da reconstrução, do renascer das cinzas ... não me importa o que o futuro me trouxer ... se o bem ou o mal, darei a volta certamente.

Se as relações com quem me rodeiam são karmicas ou de complemento não sei ... quando tiverem de terminar ... terminarão ... e novas se inicarão ... eis o poder da luta e da reestruturação ... foi pena ter-me esquecido disto durante quase 15 anos ... mas uma nova era de poder e luz iniciar-se-à ...



sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

O lado bom da vida ...

Pois é ... decidi aproveitar aquilo que tenho, aquilo que sou, a familia que me rodeia, os poucos amigos que tenho e ... viver .. o lado bom daquilo que tenho ... não significa que vou acomodar-me ao que me incomoda, mas viver mais para os meus ... viver para o que gosto de fazer ... dar valor à pessoa que sou ... porque afinal eu tenho valor ...(se calhar o problema é esse!)

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Não me conhecem, afinal ...

Pintura de Klimt

A vida é como a aritmética ... é feita de somas, de subtracções, de multiplicações e de divisões ... cheguei a um momento que a futilidade, a banalidade, a hipocrisia me passa ao lado; o dito e o mexerico, as guerrinhas para ser amigo(a) de, de ser chefe de secção, de ser melhor que o outro dão-me "naúseas"( como muito bem dizia Sartre, a "naúsea existencial") ... tudo isso para mim deixou de fazer sentido ... há vida para além disso, há pessoas que precisam de nós, há metas mais humanas e importantes que podemos cumprir e alcançar ... cansei-me das mentiras, das contradicções de muita gente, se fosse de quem lido "cara a cara" na vida real, na minha familia, na minha profissão provavelmente importar-me-ia ... mas na blogesfera ... acho que já perdi um ano com gente e coisas que não merecem as minhas energias ... não falo aqui desta plataforma porque tenho o maior respeito por quem me segue aqui, admiro as pessoas que vem aqui parar amigas reais, virtuais, os meus alunos que conhecem este canto ... mas no outro lado onde tenho mais blogs ... cansei-me e o mais triste disto tudo ...pena, talvez e o que me revoltou (agora já me passa ao lado, talvez pela medicação) é que lidaram comigo meses na vida real; outros um ano e na realidade ao dizerem-se amigos ... e na realidade uns ao terem feito o que fizeram só mostram uma única ou duas coisas ... ou não conseguiram o que pretendiam; ou não me conhecem, afinal verdadeiramente como eu sou ... porque para mim coscuvilhices, mexericos, diz-que-diz, boatos, fazer blogs e cenas para dizer mal dos outros não é do meu feitio, não é o meu género e tenho mais que fazer ... tenho uma familia, uma filha especial que precisa de mim, tenho uma mãe doente que eu sou a única filha, trabalho a 50 km de casa há três anos , tenho seis turmas, quase 180 alunos e três níveis diferentes de aulas para preparar e sou esposa e dona de casa ... acham que tenho vida para essas ninharias fúteis de quem não tem nada para fazer? Não me conhecem, afinal ...


quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Códigos oníricos

Pintura de Paula Rego
Antes de estar doente havia um sonho terrível que me perseguia ... como adepta da psicanálise, como fã incondicional de Freud e Jung andei às voltas para tentar descodificar este sonho ... contínuo na procura ... entretanto outros sonhos têm vindo ... para mim o inconsciente é a voz do interior que nos quer alertar, "falar" connosco de uma forma simbólica ... assim ando de volta do meu universo onírico à procura de soluções, de respostas, de pistas ... Uma amiga disse-me para prestar atenção às pistas que eles me dariam ... assim estou uma detective onírica ...

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Paciência

Imagem retirada da net





"Tenho paciência e penso: todo o mal traz consigo algum bem ."Beethoven

Esta frase deixou-me a pensar ... e talvez a aceitar por enquanto tanta "parvoíce", "estupidez", "mal-entendidos" e "disparates" que vejo por ai ... enfim ... não estou resignada, mas sinceramente não estou para me chatear, tenho coisas mais importantes em que pensar, em que viver... nem quero saber ...

domingo, 7 de dezembro de 2008

Algumas reflexões sobre as mulheres

Pintura de GraçaMorais


Elas são as mães:
rompem do inferno, furam a treva,
arrastando
os seus mantos na poeira das estrelas.

Animais sonâmbulos,
dormem nos rios, na raiz do pão.

Na vulva sombria
é onde fazem o lume:
ali têm casa.
Em segredo, escondem
o latir lancinante dos seus cães.

Nos olhos, o relâmpago
negro do frio.

Longamente bebem
o silencio
nas próprias mãos.

O olhar
desafia as aves:
o seu voo é mais fundo.

Sobre si se debruçam
a escutar
os passos do crepúsculo.

Despem-se ao espelho
para entrarem
nas águas da sombra.

É quando dançam que todos os caminhos
levam ao mar.

São elas que fabricam o mel,
o aroma do luar,
o branco da rosa.

Quando o galo canta
Desprendem-se
para serem orvalho.



(Eugénio de Andrade)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Os sonhos são como borboletas ...

Foto retirada de http://olhares.aeiou.pt, autoria de Clicio Barroso
Os nossos sonhos são como borboletas ... sonhamos tanto em crianças ... criamos tantos projectos ... achamos que podemos mudar o mundo ... mas passados 30 anos ... afinal não fizemos nada ou tão pouco ...
A alegria que tenho ... é que como professora de Filosofia vou formando pessoas, cidadãos mais conscientes do mundo que os rodeia, dos problemas reais, de colocá-los a pensar por si ... e isso era um sonho que se tornou realidade ...
Sempre fui uma idealista ... sempre fui uma poetisa ... uma sonhadora ... uma defensora da liberdade, da igualdade e é engraçado ... que vejo agora que me confinei nestes últimos anos desde que casei aquela vida monótona de casa, filha, trabalho, familia ... e acham sempre que faço tão pouco, que lhes dou tão pouco ... enquanto poderia estar a fazer coisas verdadeiramente reais em prol dos outros ... fartei-me do egoísmo, do olhar para o umbigo das pessoas, do consumismo ... fartei-me do comodismo de passar o domingo de pantufas em casa a ver programas estúpidos ... tenho uma filha que precisa muito de mim ... e a maior parte do fim de semana é ajudá-la na escola ... é uma menina especial ... uma menina que partilha estes valores humanos e de justiça como a mãe ... é engraçado ... mas acho que poderia fazer muito mais ... mas é difícil quando quem está à nossa volta não compreende ... apenas a minha miúda de 11 anos ...
Estas borboletas que pairavam na minha cabeça há 20 anos voltaram a cair sobre mim... sonhos ... ou chamadas do coração?

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Tranquilidade ... um pouco ...

Sinto-me um pouco mais tranquila ... voltei ao trabalho ... medicada ... mas voltei ... tinha saudades dos meus meninos ... sinto-me acarinhada por eles ... e isso faz-me bem!