terça-feira, 30 de setembro de 2008

Orgulho de ser mãe (II)

Imagem retirada da net


Ao fim de um mês de internamento ... a minha filha voltou para casa, ao fim do vigésimo sexto dia de vida chorou ... foi uma alegria ... o meu bébe ia finalmente para casa ... mas não foi fácil ... o desmame da medicação não foi feito e todas as noites à mesma hora ela chorava ... chorava compulsivamente ... horas e horas a fio e nós sem sabermos o que fazer ... não podia chorar muito, as convulsões poderiam repetir e os danos cerebrais serem maiores ... o meu instinto materno deu-me para cantar ... e cantava horas a fio ... quando o meu repertório de canções tinha terminado ... inventava umas quantas canções ... e assim fui ultrapassando esta quase inexperiência de ser mãe, de ter um bébe que sabia naquele momento não ser fácil de criar ... ao fim de um mês de estar com a minha filha fui trabalhar ... a minha vida de professora, a insegurança do meu trabalho levou-me a ir trabalhar quando fui colocada ... e era um milagre estar colocada, naquela altura os professores ainda não tinham direito a subsídio de desemprego e não podíamos dar-nos ao luxo de ficar em casa ...


Inicialmente, a minha filhota saía de casa às sete da manhã e ia para casa dos avós, que sempre foram o seu porto de abrigo, os seus segundos pais ... quando chegava ia buscá-la, mas em Novembro começam as bronquiolites, os problemas respiratórios, as crises de asma ... e a única solução foi tentar evitar que ela apanhasse frio, humidade e começou a ficar em casa dos avós ... por vezes, culpou-me porque a fui deixando nos avós, mas para mim a sua saúde sempre foi uma prioridade, já bastava os problemas que decorreram do parto ... então começou a martírio das cinesterapias ... durante quase três anos ... mas se pensam que ficou por aqui ... enganam-se ... com oito meses a minha filha não se sentava, nem segurava a cabeça ... ia aos pediatras particulares, ao pediatra e neurologista pediatrico e apenas diziam que tinha de ter paciência ... não havia nada de mal, apenas tinha um bébe um pouco preguiçoso ... teimosa e sentindo que algo não estava bem ... resolvi colocar a minha filhota na natação aos nove meses ... lá em casa diziam que eu tinha a mania das doenças, que inventava doenças à minha filha ... mas provavelmente se me tivesse deixado ficar ela não seria o que é hoje ... com a natação rela começou a sentar-se, a segurar a cabecita e no Hospital disseram-me a meia voz que ela estava com um atraso motor ... mas para não me preocupar ... mas preocupei-me e começou a fazer fisioterapia particular ... pois o hospital achou que ainda era cedo demais ... é sempre cedo demais para eles ... se não fosse estar tão atenta ... (Continua)



Sem comentários: