quarta-feira, 11 de junho de 2008

O meu poema ...

(Foto retirada da net)

A minha vida é o meu poema, a minha tristeza são os seus versos, as minhas desilusões são as suas estrofes ... poema triste e amargo ... feito de encontros e desencontros, de amores e desamores ... a minha vida é um poema a desaparecer ...


2 comentários:

homem bolo disse...

Olá, devo dar muitos parabens, em tão pouco tempo fez bastantes posts e não são posts só de "encher chouriços", são posts com a sua qualidade, não sou grande poeta, nem tenho muito jeito para certas coisas profundas, claro que por vezes sinto-me convencido de que percebo a "profundidade" de certas coisas, mas mesmo assim nunca tenho a certeza, sou mais um sujeito de coisas ridiculas (tenho asim uma teoria para a vida, tal como qualquer pessoa tem a sua), alias, isso vesse perfeitamente pelo meu blog, mas não é precisso ser um grande escritor para perceber que este blog merece perfeitamente os parabens. Mais uma coisa, é claro que as minhas palavras não curam feridas, mas não consigo deixar de notar um certo pessimismo em alguns posts, bem gostei bastante do post sobre a imaginação, mas em relação aos outros posts um pouco negativos, talvez nem o sejam, mas o meu ser vê isso, tenho simplesmente a mesma opinião que já tinha, realmente existimos, eu por mim perdia-se esse tempo a ser felizes, não interessa de que maneira o somos, por vezes o que parece infelicidade para uns é felicidade para outros, se este for o caso, continue. comprimentos de alguem conhecido (vesse logo pelo nome) :-)

ennoea disse...

Obrigada homem bolo!

Já sabes como sou ... já me aturaste dois anos!

beijinhos