quarta-feira, 16 de abril de 2008

Quem me dera ser ...



Quem me dera ser alquimista ... poder com fórmulas mágicas descobrir a poção milagrosa para a pseudo-felicidade. Quantos mais anos passam ... menor sentido a vida vai tendo ... menor sentido ... menor valor ... menor significado ... se eu conseguisse descobrir esse segredo tão bem guardado ... a solidão do meu ser agudiza-se, a dor da minha alma aumenta ... é o trespassar do meu ser, da minha identidade ... já nada faz sentido ... nem ninguém ... deambulo como uma louca pelas ruas, vislumbra a vida de fora, sinto o real como se fosse algo de que não fizesse parte ...
sinto-me a sufocar, sintou-me como uma prisioneira num quarto escuro sem saber para onde ir ... a minha vida é uma prisão, sinto-me presa a coisas, a pessoas que já não fazem sentido, apenas atormentam os meus fantasmas adormecidos ...
Quem me dera ser alquimista ... para descobrir o elixir da felicidade ou apenas o líquido que atenuasse esta dor ...

2 comentários:

S.V disse...

E não serás alquimista de ti própria? Os alquimistas trabalham também por experiência, formula, reformulam até chegar ao que querem...

Beijo grande

ennoea disse...

Todos nós somos alquimistas de nós mesmos e das nossas vidas!

Um beijão